Bienvenido a Granada ​

Tenho em mim a certeza de que nunca visitaria Granada se uma das minha melhores amigas não tivesse decidido fazer ERASMUS na universidade daquela cidade. E que grande perda isso teria sido.

 

Fui sem qualquer expectativa – afinal, ia apenas visitar uma amiga juntamente com outra BFF – de autocarro, numa viagem de 10 horas, durante a noite, por essas estradas que nos levaram até à região de Andaluzia, no sul da Espanha.

Devo dizer que foi das viagens mais duras que fiz até hoje. Dez horas de autocarro, com duas ou três paragens durante todo o percurso, é obra, mesmo para corpos altamente treinados nessa matéria que é permanecer sentado a maior parte das horas do dia.

Antes de optarmos por fazer a viagem de autocarro pesquisámos a possibilidade de outros meios de transporte, como o avião ou o comboio, mas foi a Internorte quem nos ofereceu os melhores resultados relativamente a valores: tivemos desconto de Cartão Jovem – isto em 2012, que saudades! – e por adquirir o bilhete com mais de 30 dias de antecedência. O percurso, na altura – não sei se ainda hoje é dessa forma – tinha um transbordo na zona de Málaga, digamos, bastante caricato: trocávamos de um autocarro luxuosamente grande, para uma carrinha de cerca de 20 lugares, sem AC, de bancos tortos, algumas moscas… mas valeu pela experiência.

 

A história catita desta viagem aconteceu logo na chegada a Granada, 10 horas e muitos quilómetros depois de termos saído de Portugal, enquanto esperávamos penosamente pelo semáforo verde numa passadeira:

Houve uma senhora que, ouvindo-nos falar, se dirige a nós em russo – entendo, por vezes também me parece que determinados portugueses soam a russo. Vendo as nossas caras de espanto, troca o vocabulário para castelhano e pergunta: “Não são russas, pois não?”, ao que, obviamente, respondemos negativamente. Não se dando por contente, a mesma senhora responde: “Bem me parecia que não correspondiam à beleza russa”. Pois bem, aqui fiquei totalmente descansada; antes de mais porque não acho a beleza russa nada de especial, quer dizer, por favor… e depois porque tinha passado por 10 horas de viagem de autocarro, se é que me entendem! Eheheheh!

 

Continuando, para pernoitar voltámos a optar pelo alojamento que nos pareceu mais em conta dentro do aceitável. Optámos por um hostel, com quarto com WC privativo, mesmo no centro de Granada, o Hostal Los Montes. A localização era óptima, num prédio característico da zona, sendo o único contra o facto de nos terem atribuído um quarto junto aos arrumos e acordarmos todas as manhãs com os funcionários a organizar as tarefas do dia.

Os pequenos-almoços eram feitos num café/pastelaria da Grand Via, pois não estavam incluídos no alojamento, e onde descobrimos que o tradicional pequeno-almoço espanhol são as tostadas con tomate – a minha descoberta ficou-se pela observação!

 

O resto do dia era feito a percorrer as fantásticas ruas da cidade – que têm um ambiente único e muito influenciado pela cultura árabe – a visitar os seus ex-líbris e, como não poderia deixar de ser, a participar numa ou noutra festa; afinal, estávamos numa cidade universitária!

Diria que, quem visita Granada, não pode deixar de ir beber chá a uma das muitas teterias que existem pela cidade, fazer compras nas lojas cujos artigos se transformam numa explosão de cores e cheiros em plena rua ou, como não poderia deixar de ser, subir a colina e visitar o inacreditável Alhambra, que, de tão bonito que é, poderia ocupar um post inteiro aqui no blogue.

 

Claro que, além do Alhambra, Granada está repleta de outros monumentos e locais que podem visitar, como a Catedral de Granada, que nos faz sentir pequeninos tal é a imponência das suas enormes colunas brancas, os banhos árabes, a universidade, as dezenas de igrejas que se encontram a cada virar de esquina, os jardins e, numa vertente mais científica, o Parque de las Ciencias que, se interessante para adultos, é fantástico para quem viajar com crianças. Deixo-vos, por isso, um TOP 5 do que podem visitar pela cidade:

 

1 – Catedral de Granada

Com as suas imponentes colunas brancas no interior, a Catedral de Granada impõe-se de onde quer que olhemos para as panorâmicas da cidade. Este edifício religioso, construído entre os séculos XVI e XVIII, apresenta uma variedade de estilos arquitectónicos e artísticos que convivem harmoniosamente e que não são de visita dispensável. (Perdoem-me a qualidade das fotografias do interior, mas aqui valeu-me o smartphone que, em 2012, ainda não tirava fotos com a qualidade de hoje!)

 

2 – El Bañuelo

Existem alguns banhos árabes em Granada, se não para nos banharmos, pelo menos para visitarmos um ambiente singular. É o caso do El Bañuelo que, sendo um museu de entrada gratuita situado na Carrera del Darro, permite a quem o visita conhecer banhos do século XI que outrora pertenceram à Mezquita Del Nogal.

 

3 – Teterias

Quem entra numa teteria, entra num maravilhoso mundo de mil e uma noites! Podem escolher entre as dezenas que existem na cidade e pedir um chá; certamente que será óptimo para um fim de dia relaxante passado com amigos!

 

4 – Parque de las Ciencias

Este museu interativo no centro de Granada é composto por dois edíficios – Macroscópico e Pendulo de Foucault – e uma vasta área exterior que proporcionam uma viagem científica e cultural a quem os visita. Além das exposições permanentes são também comuns as exposições temporárias ao longo do ano. É sem dúvida um local aconselhável a miúdos e graúdos por todas as diferentes atividades que se podem fazer por ali.

 

5 – Complexo Monumental de Alhambra

O Complexo Monumental de Alhambra é, sem sombra de dúvida, o local mais espectacular que podem visitar em Granada. Aqui podem visitar as Torres Bermejas, os Palácios Nazaritas, o Generalife – que se destaca pelos seus vastos jardins – e o Palácio de Carlos V, onde podem visitar o Museu de Belas Artes. Perdermo-nos por este complexo é uma descoberta fascinante e onde poderíamos ficar horas, deslumbrados com os pormenores de cada edifício; é tudo lindíssimo!

 

Granada não é uma cidade enorme e dispersa, de modo que é fácil deslocarmo-nos a pé. No entanto, e à semelhança do que acontece noutras cidades, também aqui podemos encontrar um bilhete geral que inclui o transporte e a entrada nalguns monumentos, chama-se Granada Card e é vendido em diversos locais espalhados pela cidade.

Talvez tenha sido a minha falta de expectativa o que me fez ficar encantada por esta cidade espanhola verdadeiramente a fazer lembrar as mil e uma noites e cuja lembrança guardo ainda muito presente e com saudade. Se querem uma semana mágica, visitem Granada (além disso é perto da Sierra Nevada, de modo que se quiserem dar um saltinho até à neve…)!

Alguém por aí já teve a mesma experiência, ir sem expectativa e voltar fascinado? 😍

 


Quanto?

Viagem de autocarro (Lisboa – Granada – Lisboa) 53,50€/pessoa

Hostal Los Montes (4 noites) 40€/Pessoa

Granada Card 40€

 

SE FORES VIAJAR
Aproveita os descontos abaixo quando estiveres a organizar a tua viagem:

 

Cartão Revolut: Regista-te com esta ligação e recebe um Cartão Revolut gratuito e aproveita, entre outras vantagens, as incríveis taxas de câmbio no estrangeiro.

 

Seguros de Viagem IATI: Faz o teu seguro de viagem na IATIIati seguros através do blogue e aproveita os 5% de desconto nos diferentes seguros especializados para viajantes.

 

2 thoughts on “Bienvenido a Granada ​

Deixe um comentário

Close
%d bloggers like this: